domingo, 2 de maio de 2010

Sem alarde

Vivemos a maior parte do tempo tão mergulhados em nossos afazeres e preocupações que nem percebemos as maravilhas que a vida nos oferece a cada dia, nas formas mais simples.

As dificuldades são enormes, nossos caminhos, ás vezes, parecem se fechar e não vemos que a natureza produz, silenciosamente, pequenos milagres a todo instante.

Os noticiários da TV exibem a violência, a corrupção, a catástrofe, o sofrimento, entretanto, as transformações mais belas em nossa vida acontecem sem serem notadas, e os momentos de maior alegria que vivemos não viram notícia.

A maldade humana é como a tempestade à noite. Por mais terrível, escura e longa que pareça cederá, mais cedo ou mais tarde, à luz do novo dia, que chega serenamente, representando as novas oportunidades de reconstrução da nossa paz interior.

Não se impressione, pois, pela maneira como crescem a vaidade, a mentira, a hipocrisia e a iniquidade no mundo que nos cerca, no fundo, todo mal nasce da ignorância, há homens "cheios" da cultura e do saber do mundo que ignoram a paz e desconhecem o amor.

Caminhante, ilumina o teu horizonte com pequenos gestos de bondade. Por menores que pareçam, são mais fortes do que toda a escuridão reunida.

Projeta luz sobre a tua própria dor, passando a enxergá-la como oportunidade de crescimento e renovação.

Perceba que o arco-íris nasce do confronto entre a luz do Sol e o que chamamos de "tempo ruim". A chuva, ou o "tempo ruim", é o precioso instrumento da natureza, a fim de renovar a vida.

Espalha o otimismo , enquanto puderes.

A centelha de esperança que, hoje, acendemos no coração de alguém poderá ser, amanhã, um farol a guiar nossos planos quando estivermos perdidos nas tormentas da vida.

Semeia o bem, a paz e a felicidade a todos aqueles que te rodeiam, mas sem fazer-se notado e assim, a felicidade entrará devagarinho em tua vida, sem fazer alarde.

Um comentário:

Patricia disse...

Muito lindo Pete.
Beijos